Que os estudantes aprendem em ritmos diferentes nós já sabemos. Entretanto, mesmo assim, o ensino nas salas de aula é feito de uma forma como se todos fossem iguais.

Inevitavelmente, os alunos não apresentam o mesmo desempenho, gerando um desnível de conhecimento, demandando um projeto de intervenção pedagógica para reduzir esse problema.

Conduzida pelo professor, esse plano de intervenção pedagógica tem o objetivo de ajudar os estudantes a aprender e superar os desafios.

Neste artigo, vamos dar alguns exemplos de ações pedagógicas e ver como fazer um projeto de intervenção pedagógica.

Banner oferecendo gratuitamente o infográfico de intervenções pedagógicas. Clique para baixar.

O que é um plano de intervenção pedagógica?

A intervenção pedagógica acontece quando o professor ou psicopedagogo precisa interferir no processo de desenvolvimento de um aluno que apresenta problemas de aprendizagem, os quais são normalmente percebidos pela avaliação diagnóstica.

Assim, essa interferência acontece através de estratégias e abordagens educacionais que possibilitem ao aluno absorver o conhecimento de forma diferenciada.

Intervenções pedagógicas têm o objetivo de:

Ao longo deste artigo, vamos conhecer exemplos de intervenções pedagógicas e como podem ser realizados.

Quando realizar projetos de intervenção pedagógica?

As ações de intervenção pedagógica são indicadas para situações em que os estudantes apresentem dificuldades de aprendizagem.

Ilustração mostrando uma professora em frente à lousa realizando uma intervenção pedagógica.

As ações devem acontecer a partir do momento em que o professor identifica a dificuldade, evitando que o problema seja amplificado e comprometa o desenvolvimento do aluno.

Além disso, o plano de intervenção pedagógica tem caráter interdisciplinar e integral, mobilizando a família e a escola para identificar as lacunas de aprendizagem dos alunos.

Isso porque cada segmento da educação básica apresenta desafios que devem ser observados e que podem indicar a necessidade de interferências psicopedagógicas.

A educação infantil é um dos momentos mais propícios para a realização de ações de intervenção pedagógica, pois é nessa fase da vida que se identificam mais dificuldades de aprendizagem, principalmente no processo de alfabetização.

Nessa faixa etária, alguns possíveis temas para projeto de intervenção pedagógica são: 

Por outro lado, já nos anos finais do ensino fundamental e no início do ensino médio, período em que se observa os piores indicadores de desempenho escolar segundo o Ideb, a intervenção pedagógica também é necessária.
Então, para esses, teremos mais detalhes abaixo.

A intervenção pedagógica no ensino remoto

Os desafios do ensino remoto emergencial aumentaram a necessidade de ações de intervenção pedagógica nas escolas.

Longe do ambiente controlado da sala de aula, a dificuldade de concentração e de absorção do conhecimento pelos alunos é maior, o que resultou, entre outros reflexos, em um grande desnível de conhecimento, quedas nas notas e evasão escolar.

Desse modo, para reduzir as dificuldades de aprendizagem dos alunos na educação online, as escolas devem investir em alternativas de ensino eficazes, como a tutoria digital, e ampliar a atenção para os alunos com acompanhamento e feedback constantes.

Como fazer um projeto de intervenção pedagógica?

Para ajudá-lo a elaborar um plano de ação para alunos com baixo rendimento, elaboramos este passo a passo com checklist:

Passo 1: Identificar os alunos que precisam de uma ação pedagógica

Normalmente os alunos selecionados para esse tipo de ação são os que estão com médias abaixo da esperada, certo? Entretanto, essa não deve ser a única métrica que pode ser avaliada.

Isso porque o aluno pode estar na média, mas ainda assim apresentar uma dificuldade em um ponto específico que precisa ser fortalecido.

Portanto, o primeiro passo é definir quais são os alunos que necessitam de intervenção de acordo não só com as médias nos boletins, mas também com os relatórios de acompanhamento pedagógico dos professores.

Checklist

[   ] Catalogar os alunos com médias abaixo da esperada

[   ] Perguntar aos professores quais os alunos apresentam dificuldades, mesmo que não estejam abaixo da média

[   ] Analisar os relatórios de acompanhamento pedagógico para ver se há alguma situação preocupante que não tenha sido mencionada

[   ] Elaborar a lista com todos estes alunos que precisam de ações pedagógicas

Passo 2: Entender quais as dificuldades pedagógicas

Para conseguir entender quais as dificuldades de aprendizagem dos alunos, diagnósticos levantados por avaliações com os alunos são essenciais. Isso porque, para elaborar propostas de intervenção eficazes, o professor e demais profissionais da educação precisam de informações para analisar e encontrar as dificuldades dos estudantes.

É importante que a gestão escolar disponha de meios para mensurar os resultados das avaliações, como sistemas de ensino integrados e dados sobre o desempenho dos alunos.

Muitas vezes o software de gestão escolar pode ser o suficiente para ter dados iniciais, além do próprio relatório de acompanhamento pedagógico do professor e os históricos escolares.

Entretanto, um sistema que traga métricas de desempenho, como os relatórios do TutorMundi, facilita muito a elaboração de um plano de intervenção pedagógica.

Algumas perguntas que podem ajudar a identificar essas dificuldades são:

  • Em que matérias esse aluno apresenta dificuldades? São muitas? É apenas uma?
  • Quais os tópicos comuns de dificuldade aqui? É possível dividir estes alunos em grupos catalogados por problemas parecidos?
  • Quais as observações dos professores quanto ao aluno ou grupo de alunos?
  • O que dizem os dados? Quais as maiores dúvidas? Quais as médias?
  • Há lacunas de aprendizagem? Quais pré-requisitos estão faltando?

Passo 3: Classificar os alunos em grupos de dificuldades

Fica mais fácil para a escola e mais empolgante para os estudantes realizar as ações de intervenção pedagógica, por isso, vale a pena fazer essa classificação.

É possível dividir os alunos por matéria, nível de dificuldade ou por lacunas de aprendizagem que precisam ser trabalhadas. A escolha dos grupos depende do perfil dos alunos, dos objetivos da escola e da disponibilidade de profissionais.

Dessa forma, com a divisão, você consegue aplicar em grupo muitas das ações pedagógicas que apresentaremos na próxima parte.

Passo 4: Escolher as datas e formas da ação pedagógica

O acompanhamento não deve se restringir às provas do calendário da escola. Isso pois é preciso que haja um acompanhamento pedagógico constante para que de fato o plano seja produtivo.

Por isso, é importante deixar essas datas já planejadas e não apenas nos períodos de recuperação contínua ou paralela da escola, que ocorrem normalmente após as provas de meio e final de bimestre.

Fazer essas ações de intervenção pedagógica antes das provas finais é uma excelente forma de evitar a necessidade de recuperação paralela e prova de recuperação posteriormente, por exemplo.

Em seguida, com as datas em mãos, também é possível definir a forma. A ação de recuperação pedagógica será feita em sala de aula? Ou fora dela?

Projetos de intervenção pedagógica em sala de aula

Fazer os planos de intervenção pedagógica em sala de aula é interessante porque evita a necessidade dos alunos terem que ir no contraturno escolar.

Entretanto, pode dificultar a continuidade do calendário escolar, já que normalmente traz uma quantidade grande de conteúdos que precisam ser ministrados.

Além disso, outra dificuldade é a presença de outros alunos que não necessariamente precisam dessa revisão do conteúdo e podem atrapalhar os que precisam devido à falta de disciplina.

Por isso, uma boa alternativa para isso é usar metodologias ativas que possam envolver toda a sala, fazendo com que, inclusive, os que não têm dificuldades de aprendizagem consigam ensinar os que estão com esse desnível escolar.

Quer conhecer mais? baixe gratuitamente nosso e-book de metodologias ativas! 😃

Planos de intervenção pedagógica no contraturno escolar

Por outro lado, fazer esses projetos de intervenção pedagógica no contraturno escolar traz vantagens porque o cronograma normal da classe não seria afetado.

Além disso, os demais estudantes não teriam chance de atrapalhar aqueles que precisam reduzir o desnível escolar e é possível oferecer um atendimento mais personalizado.

Entretanto, uma das dificuldades nesse sistema é que, por conta do deslocamento, de outras atividades ou simplesmente por ser possível evitar, muitos não comparecem à escola para realizar o projeto de intervenção pedagógica.

Planos de intervenção pedagógica online

É possível, também, utilizar um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) para realizar atividades de intervenção pedagógica.

Várias atividades podem ser feitas nele, como aulas de revisão online, vídeos, atividades extras, pesquisas. Isso faz com que o AVA seja uma excelente ferramenta para uma sala de aula invertida, por exemplo.

Passo 5: Definir os responsáveis pelo plano de intervenção pedagógica

Com os grupos, datas e forma definidos, você consegue notar quais os profissionais serão requisitados para dar esse suporte.

Caso as atividades sejam em sala de aula, muitas vezes, o próprio professor será o responsável, mas é preciso verificar a necessidade de monitores para auxiliar na tarefa.

Assim, se os projetos de intervenção ocorrerem fora de sala, é possível buscar profissionais diferentes para ministrarem as aulas, especialmente se depender dos professores, já que normalmente dão aulas em várias escolas e têm a grade cheia.

Passo 6: Montar o projeto de intervenção pedagógica

Com todas essas informações prévias, chega o momento de montar o plano de intervenção pedagógica.

É possível utilizar várias ações pedagógicas em conjunto, tudo a depender do tempo disponível e das necessidades dos alunos.

Então, para escolher quais ações pedagógicas utilizar, veja o tópico a seguir!

Banner oferecendo gratuitamente o infográfico de intervenções pedagógicas. Clique para baixar.

9 ações de intervenção pedagógica para aula presencial e online

Neste artigo, elencamos 13 sugestões que podem ser aplicadas em aulas online ou presenciais.

1 – Aulas de revisão

As aulas de revisão são o modelo de intervenção pedagógica mais conhecido e aplicado. O objetivo das aulas é atender os conteúdos e temáticas que os alunos têm mais dificuldade, sendo muitas vezes realizadas durante o período normal de aulas.

O mais difícil dessa abordagem é priorizar as principais dificuldades dos alunos, por isso o TutorMundi oferece relatórios completos, identificando as maiores dúvidas dos alunos por matéria, conteúdo, turma e individualmente.

Em aulas remotas, a utilização de vídeos é uma ótima alternativa de trazer novos elementos para apresentar o conteúdo para os alunos, com o auxílio de recursos visuais e sonoros.

2 – Plantão de dúvidas

O plantão de dúvidas é uma ferramenta muito útil para ações de intervenção pedagógica. Em um espaço dedicado para atendimento individual, os estudantes podem tirar dúvidas com professores ou tutores sobre uma matéria ou exercícios específicos.

O plantão ajuda no desenvolvimento de uma rotina de estudo dos estudantes, e o ideal é que ele acompanhe todo o ano letivo, não se restringindo ao suporte para as avaliações.

Além disso, a atividade pode ser realizada tanto em encontros presenciais, com salas de aula ou espaços reservados na escola, ou através de ferramentas virtuais.

3 – Microlearning

O microlearning, ou micro aprendizado, é uma estratégia de ensino que utiliza pequenas doses de conteúdo para ensinar. A abordagem é muito comum em aplicativos para smartphone, como o Duolingo, que ensina línguas através de pequenas lições.

A micro aprendizagem pode ser uma alternativa de intervenção pedagógica, pois melhora a retenção do aprendizado, aumenta o engajamento dos alunos e facilita a memorização de conceitos.

As escolas podem utilizar microlearning em suas aulas em atividades que durem em média 5 minutos para serem concluídas. 

Esse tipo de atividade pode ser usada de forma contínua com os alunos com dificuldades ou com toda a sala.

4 – Grupos de estudo

Como exemplifica a famosa pirâmide do aprendizado de William Glasser, nós aprendemos mais e melhor quando conversamos sobre o que estamos estudando e principalmente quando ensinamos aos outros.

Como proposta de intervenção pedagógica, os grupos de estudo permitem explorar ao máximo a capacidade de aprendizagem dos alunos ao colocá-los em postura ativa na construção do conhecimento com seus pares.

Os grupos de estudo colocam o estudante no protagonismo, o que permite que o conteúdo seja absorvido de forma mais leve e simplificada, compatível com a linguagem do aluno.

Em atividades em grupos, o professor assume o papel de mediador, intervindo com orientações e organizando a turma para obter melhores resultados.

Esses grupos de estudo podem ser realizados pelos alunos no contraturno escolar na escola ou na casa de algum deles, só é necessário que haja uma mínima supervisão.

5 – Atividades de ensino híbrido

O ensino híbrido ganhou muita força nos últimos anos por oferecer uma abordagem que une tecnologia com atividades presenciais.

Ao aproximar a abordagem pedagógica do ambiente virtual dominado pelas crianças e adolescentes, a escola deixa os alunos mais interessados e engajados com as atividades.

Existem diversos modelos de ensino híbrido que podem ser utilizados tanto para formular a grade curricular por completo quanto para ações de intervenção pedagógica.
Selecionamos 6 atividades de ensino híbrido que vão despertar o interesse dos alunos pelo conteúdo estudado em sala de aula. Acesse e confira!

6 – Gamificação

O termo gamificação passou a ocupar um lugar de muito destaque no ambiente escolar por usar a tecnologia e a interatividade para construir experiências de aprendizado.

A gamificação consiste em utilizar jogos ou elementos de jogos no processo de ensino aprendizagem. A estratégia leva abordagens naturais do mundo dos games, como pontuação, avatar, ranking e desafios para a sala de aula.

Além disso, as estratégias de gamificação não são a mesma coisa que usar jogos pedagógicos. Os jogos consistem em um sistema completo, já a gamificação utiliza alguns elementos da dinâmica dos jogos para promover atividades pedagógicas.

Como proposta de intervenção pedagógica, a gamificação aumenta o interesse e a motivação dos alunos, torna o aprendizado mais dinâmico e divertido e melhora a autonomia do estudante.

7 – Webquest

Uma possibilidade de trabalhar com a internet em intervenções pedagógicas é a webquest. A atividade consiste em indicar tarefas para os alunos, que devem buscar a resolução dos problemas de forma criativa.

Assim, a webquest usa ferramentas simples disponíveis online gratuitamente para promover atividades lúdicas e de alto nível de engajamento. Como são ações envolventes e divertidas, os alunos participam muito mais do que atividades tradicionais e ajudam no desenvolvimento de uma cultura de aprendizagem.

8 – Monitoria

A monitoria é uma das modalidades de intervenção pedagógicas mais conhecidas e eficazes. Semelhante ao plantão de dúvidas, a monitoria consiste em trabalhar com professores auxiliares ou estudantes no atendimento às dúvidas dos demais alunos.

Através de um processo seletivo, os alunos que tiverem interesse podem se candidatar a uma vaga de monitor. Dessa forma, além de colaborar com o aprendizado dos colegas, os estudantes monitores podem receber bonificações, como notas ou benefícios estudantis.

O estudante que busca monitoria para resolver suas dúvidas tem um atendimento personalizado e individual, podendo desenvolver melhor suas habilidades.

9 – Rotação por estações

Essa estratégia de intervenção pedagógica pode dar um pouco de trabalho, mas traz resultados muito gratificantes.

Na rotação por estações, os alunos em grupos vão trocando de estação a cada 15 minutos em média. O objetivo é fazer o ciclo completo, passando por todas as estações no período de uma aula ou duas dependendo do tempo disponível.

Cada estação tem começo, meio e fim, ou seja, nenhuma estação pode ser pré-requisito da outra. 

As estações podem ter games pedagógicos, quizzes, questionários, vídeos que eles devem assistir, momentos de leitura ou de análise de textos, resolução de exercícios ou até mesmo debate.

Por ser um curto espaço de tempo em cada uma, o ensino não fica maçante para os alunos e eles conseguem aprender e revisar vários conteúdos de forma dinâmica.

Assim, a rotação por estações é uma excelente ação de intervenção pedagógica por isso.

10 – Aprendizagem baseada em problemas

Uma aula de revisão pode parecer não muito interessante para um aluno, mas se você der a ele um enigma, um problema que precise resolver, ele possivelmente ficará muito mais interessado.

Na aprendizagem baseada em problemas, o conteúdo fica em volta de algo que precisa ser resolvido pelos alunos, fazendo com que tudo que aprendam seja para ajudar na resolução do problema.

Essa é uma excelente forma de estimular os alunos a estudarem, pois eles terão de forma clara em mente que precisam aprender aquele conteúdo para resolver o problema.

11- Team based learning

Nessa metodologia ativa do Team Based Learning, não basta apenas formar grupos, existe uma mecânica que deve ser seguida que é uma excelente forma de recuperação contínua.

O aluno precisa fazer uma preparação individual, o que já ajuda muito e funciona como uma espécie de recuperação paralela, para estar apto a ajudar o grupo com o conhecimento.

Então, antes de formar os grupos, é feito um quiz que o aluno precisa responder antes para verificar se ele estudou o que foi requisitado.

Em seguida, no grupo, há os momentos de discussão para a resolução de um problema.

Quer conhecer mais? baixe gratuitamente nosso e-book de metodologias ativas! 😃

12 – Caça ao tesouro

Pode parecer algo infantil, mas dá para ser utilizado desde o infantil até o ensino médio. Por ser algo divertido, os alunos adoram! Em cada nível você dificulta os enigmas e os esconderijos.

Você pode colocar charadas que tenham a ver com o conteúdo para que eles resolvam, diga-os que pode consultar o material didático também.

A dificuldade está em preparar e esconder todas as pistas pela escola. Para isso, é preciso, muitas vezes, ajuda dos monitores.

Por isso, essa é uma excelente e divertida forma de fazer com que os alunos retomem conceitos importantes, já que vão precisar deles para encontrarem o tesouro!

13 – Tutoria digital

A tutoria online tem o objetivo de oferecer ao aluno acompanhamento personalizado e individual, na hora que ele precisa e onde a dúvida surgir.

As escolas que adotam a tutoria digital ganham mais tempo para os professores desenvolverem suas atividades e permite que os alunos se sintam mais confiantes com tutores disponíveis a qualquer hora.

O TutorMundi é um dos pioneiros na tutoria digital no Brasil, e atualmente conta com mais de 2 mil tutores cadastrados das principais universidades do país.

Os atendimentos acontecem em todo o país, nas áreas de matemática, física, química, biologia, português, história, geografia, inglês e espanhol, sociologia e filosofia, além de correções completas de redação.

>> Saiba como o TutorMundi ajudou o Colégio Fator a manter sua cultura de aprendizagem durante a pandemia

Assim, a escola que adota propostas de intervenção pedagógica inovadoras como a tutoria digital garante alunos mais independentes e satisfeitos, com dúvidas solucionadas na hora que elas surgem, e mais preparados para encarar os desafios.

Exemplo de plano de intervenção pedagógica pronto

Para ver como aplicar isso na prática, veja abaixo um projeto de intervenção pedagógica pronto para alunos de ensino médio na matéria de redação e o passo a passo.

1 – Identificar os alunos com problemas

Da sala com 30 alunos, 5 deles ficaram com notas abaixo da média em redação e naturalmente demonstram dificuldades e ao mesmo tempo desinteresse na disciplina.

2 – Entender quais as dificuldades pedagógicas

Os alunos têm muita dificuldade no desenvolvimento, especialmente no uso das estratégias argumentativas, em especial a analogia.

Os dados mostram que “desenvolvimento da redação” é a dúvida mais recorrente deles na plataforma de redação e eles não têm tirado boas notas nas últimas redações.

O desenvolvimento é de fato desafiador para toda a turma, mas esses alunos ficam mais “empacados” ainda nessa parte.

Não há dificuldades em outras matérias, os alunos vão bem em gramática e literatura, só na redação que estão com dificuldade nessa parte do texto dissertativo argumentativo.

3- Classificar os alunos em grupos

Como todos estão com dificuldades semelhantes e já é um grupo pequeno, ficarão em 5 mesmo.

4 – Escolher a data e a forma

A recuperação ocorrerá em sala de aula mesmo, pois os alunos estudam em período integral e não há como diminuir este desnível no contraturno escolar.

Por exemplo, a data será na semana antes da prova de redação e vai ser aproveitada para ser uma revisão para toda a turma, então todos irão participar.

5- Definir os responsáveis

Neste caso, como ocorrerá em sala de aula, o próprio professor será responsável por isso.

6 – Montar um projeto de intervenção pedagógica

Como plano de intervenção pedagógica, serão realizadas duas atividades:

Em sala de aula, haverá uma rotação por estações com 4 estações:

  1. Leitura de redações nota 1000 em que analogia foi usada e o que achou de interessante nos desenvolvimentos
  2. Gamificação na plataforma Quizziz
  3. Elaboração de um parágrafo de desenvolvimento usando a analogia contando com o uso do TutorMundi
  4. Pensar em como usar analogia na redação usando várias séries, animes e filmes conhecidos dos alunos

Cada estação dura 15 minutos e todos os alunos da sala participaram, mas os 5 ficam juntos e com mais 3 alunos responsáveis que conseguem acrescentar ao conhecimento deles.

Em seguida, em casa, os alunos usam a tutoria online para elaborar uma redação para reduzir o desnível de conhecimento em relação aos outros. 

Conclusão

As ações de intervenção pedagógica têm o objetivo de reduzir as dificuldades dos alunos antes que virem problemas graves de aprendizagem. Os professores precisam estar atentos para os primeiros sinais que indiquem a necessidade de intervir e agir de imediato.

Assim, para ter um bom acompanhamento pedagógico, baixe agora nossa planilha de acompanhamento pedagógico e consiga estar facilmente alinhado aos seus professores e alunos.

Fontes

http://www.gestaoescolar.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/pdf/projeto_de_intervencao_pde2013.pdf

https://revista.facfama.edu.br/index.php/PedF/article/view/150