avaliação diagnóstica

Avaliação diagnóstica: como ela pode ajudar a sua escola

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no twitter

Para garantir a qualidade do ensino, as escolas devem revisar as metodologias usadas para avaliar os alunos. O ponto chave dessa revisão e atualização de processos está fundamentado na avaliação diagnóstica.

Confira no nosso texto o que é e como se beneficiar desse recurso na sua escola.

Como surgiu a avaliação diagnóstica?

A ideia de avaliação diagnóstica surgiu quando as escolas públicas decidiram eliminar a necessidade de repetência no ensino fundamental com a progressão continuada. 

A progressão foi implantada de acordo com as recomendações contidas na Lei de Diretrizes e Bases (LDB) de 1996.

Para entender o impacto da criação dessa avaliação é importante entender outros modelos como as avaliações somativas e formativas. 

Avaliações Somativas

São aquelas que avaliam a aprendizagem dos alunos no término de determinado período. Geralmente elas decidem o destino dos alunos na sua evolução do conhecimento escolar, se vão avançar de série ou repeti-la. 

As avaliações somativas são guiadas pela aprovação por meio de notas. Veja abaixo um exemplo:

avaliação somativa

Avaliação somativa

Avaliações Formativas

São aquelas que promovem retorno mais rápidos para os alunos, sobre pontos que eles precisam melhorar. Veja um exemplo abaixo de avaliação formativa:

avaliação formativaAvaliação formativa

Avaliações Diagnósticas

Já as avaliações diagnósticas contribuem para o conhecimento dos alunos promovendo a aprendizagem por meio da análise da adequação entre o programa de ensino e os conhecimentos dos alunos. 

É comum que elas sejam aplicadas no início do ano, para que o professor tenha tempo de planejar e adaptar o seu plano de aula as necessidades da sua turma. Veja um exemplo abaixo de avaliação diagnóstica:

Avaliação diagnósticaAvaliação diagnóstica

Veja no quadro abaixo como cada uma das avaliações se diferenciam entre si sobre o que representam, quando ocorrem, para que servem e para quem servem:

tipos de avaliações escolaresFonte: Ana Rita de Souza – SESI – Quadro comparativo de tipos de avaliações escolares.

Como posso aplicar a avaliação diagnóstica?

Pela avaliação diagnóstica é possível avaliar o método de ensino, competências, e habilidades de uma forma mais rica e analítica. 

Outros sistemas valorizam mais a nota alcançada no fim do bimestre/trimestre/ano letivo do aluno e isso pode prejudicar a evolução do aprendizado.

No planejamento dos métodos avaliativos deve se levar em conta como cada objetivo será acompanhado. Alguns serão realizados por meio de prova; outros, por meio de um projeto interdisciplinar; outros, por meio de uma apresentação oral, etc. 

A partir da necessidade apresentada pelos alunos é possível montar um mapa de prova, que pode ser agrupado pelas habilidades e conteúdos específicos. Isso permite que as necessidades dos alunos sejam vistas. 

Veja abaixo um exemplo de mapa de prova:

mapa da provaMapa de prova – Fonte: Primeira Escolha

Dessa forma os alunos podem ser agrupados de acordo com suas principais dificuldades. Além disso há a possibilidade de um trabalho mais individualizado com tais grupos, e também, permitir um retorno personalizado a cada aluno.

Como colocar em prática?

Existem várias formas de aplicar as avaliações diagnósticas e colocá-las em prática na sua instituição de ensino.

Debates

Os debates representam uma forma bem interessante dos alunos aplicarem o conhecimento adquirido com as próprias palavras, experiências e vivências. 

Além disso é uma forma dos alunos praticarem o valor da empatia, do saber ouvir, respeito e paciência com a opinião do outro.

Saiba mais >> Como a aprendizagem baseada em problemas auxilia na construção de empatia

Redações

Desde a etapa de alfabetização, os alunos são estimulados a produzirem conteúdos escritos que ajudam no aprendizado de regras gramaticais, vocabulário e níveis de escrita. 

Promover a constante produção de redações na sua escola pode ajudar a identificar possíveis lacunas a serem preenchidas com aulas mais personalizadas.

Tecnologia educacional na sala de aula

A adição de tecnologias educacionais na educação passou a ser uma necessidade urgente. O ensino híbrido não é apenas um caminho alternativo no ensino, é uma urgência.

Existem inúmeras ferramentas que apoiam a análise e atuação em uma avaliação diagnóstica. Por meio elas é possível saber quantas dúvidas os alunos tiveram em cada matéria, quantas horas foram estudadas e quais subtópicos geram maior dificuldade.

Conclusão

O papel da avaliação diagnóstica é acima de tudo dar oportunidades para os alunos aprenderem da melhor forma possível de acordo com as suas necessidades. 

A identificação dos pontos fortes e fracos dos alunos permite que as escolas possam entregar ações pedagógicas que vão beneficiar não somente os estudantes, mas a instituição de ensino como um todo.

Compartilhar
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no twitter
Rodrigo Dutra

Rodrigo Dutra

Estrategista de marca e especialista de conteúdo, minha missão é encontrar formas de flexibilizar e personalizar o aprendizado para que alunos vão além de seus potenciais.

O que achou do artigo? Nos conte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Newsletter

Inscreva-se para receber conteúdo sobre ensino híbrido e personalização da aprendizagem no seu e-mail.

Quer inovar a jornada educacional?

Seja um líder educacional e inscreva-se em nossa newsletter.