sala de aula invertida

Aulas mais efetivas com sala de aula invertida

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no twitter

Sumário

Sala de aula invertida, conhecida também como flipped classroom, é uma inovação no processo de aprendizagem.

Assim como o ensino on-line, que tem mudado como as pessoas se relacionam em um ambiente de aprendizagem, ela trás vários benefícios para o aluno.

Graças à eficiência do ensino on-line, a cada dia surgem melhores formas de trabalhar a educação, construindo processos, estruturas e ambientes mais eficientes para que o estudante possa aprender com motivação. A sala de aula invertida é um desses novos modelos.

Quer saber mais sobre essa nova metodologia ativa e como ela funciona? Então continue acompanhando o texto!

O que é a sala de aula invertida?

No modelo tradicional de ensino o docente, em uma aula expositiva, apresenta e comenta sobre a matéria no quadro. Em seguida, é enviada uma lição para casa a qual os alunos fazem sozinhos.

A sala de aula invertida é uma inversão da lógica do modelo. Os estudantes entendem os conceitos antes da aula.

Depois, na sala de aula com os demais, discutem o que aprenderam e tiram dúvidas sobre o conteúdo com a ajuda do professor.

Como a sala de aula invertida surgiu?

A primeira vez que essa metodologia foi aplicada foi em 1996, na Miami University (Ohio, EUA) durante uma disciplina de Microeconomia. 

A sala de aula invertida consolidou-se como uma das maiores tendências de educação dos últimos tempos, sendo uma modalidade do ensino híbrido.

Como a sala da aula invertida funciona na prática?

A ideia principal é que o aluno entenda a matéria através de recursos virtuais em casa e, na sala de aula, ele já entende o mínimo sobre assunto que será desenvolvido.

Dessa maneira, a sala de aula presencial passa a ser um local de troca entre professor e alunos para atividades em grupo e tirar as dúvidas acerca de algum assunto, por exemplo.

sala de aula invertida

Uma das principais preocupações ao aplicar essa metodologia é o aprendizado e contato com o conceito sem o acompanhamento do professor. Algumas ferramentas são especialmente relevantes nesse contexto, como a tutoria digital.

O serviço apoia o aprendizado dos estudantes em casa através de tutores disponíveis a qualquer momento, otimizando a prática e disponibilidade do professor na sala de aula presencial. 

>> Confira 12 pros e contras da sala de aula invertida

Atividades para a casa

As atividades feitas em casa podem aumentar o acesso dos alunos aos professores, com lições em formato de vídeo criadas pelos professores remotamente, além das aulas presenciais em sala de aula. Segue alguns exemplos e ideias de atividades em casa:

  • Assistir uma lição em vídeo;
  • Revisar o material da disciplina;
  • Ler textos ou artigos;
  • Participar de uma discussão online; 
  • Conduzir uma pesquisa;
  • Tutoria Digital para aprofundamento.

Atividades para a sala

No modelo de sala de aula invertida, os alunos praticam sob a orientação do professor, enquanto acessam o conteúdo por conta própria, remotamente e nem sempre dentro da sala de aula.

  • Praticar uma habilidade alternativa;
  • Discussões presenciais com seus colegas;
  • Debates;
  • Apresentações;
  • Aprendizagem através de estações;
  • Experimentos de laboratório;
  • Avaliação e revisão entre pares.

Quais são os benefícios da sala de aula invertida para o aprendizado?

Veja, a seguir, os principais benefícios da sala de aula invertida!

Otimização de tempo: o professor, geralmente, gasta a maior parte do tempo explicando a matéria presencialmente. Na sala de aula invertida, como o aluno já tem um contato prévio com a matéria, o tempo de aula pode render mais;

Maior engajamento: os alunos, por terem de interagir entre si, participam mais das aulas e, consequentemente, o rendimento da turma aumenta;

Personalização da aprendizagem: a sala de aula invertida consegue abarcar várias ações pedagógicas nas quais os conteúdos atingem o estudante por meio de diferentes canais e ferramentas, logo, há uma personalização do processo da aprendizagem. A individualidade de cada aluno é considerada;

Saiba mais >> Conheça 10 ferramentas de personalização da aprendizagem ao redor do mundo

Aluno no papel de protagonista: o aluno se torna um agente bem mais responsável e ativo com o aprendizado, aprimorando seu engajamento nos conteúdos;

Flexibilidade de ensino: quando se inverte a sala de aula, diferentes modelos podem ser aplicados. Grupos de estudo, leitura silenciosa e desenvolvimento de projetos são alguns exemplos de como a aula em si é flexível.

Como a metodologia sala de aula invertida pode ser aplicada pelas escolas?

A aplicação desse modelo nas escolas exige mudanças na gestão, na prática do professor e na dinâmica da sala de aula.

Por esse motivo, alguns recursos podem contribuir para que o professor tenha sucesso. Alguns exemplos são:

  • Textos e artigos: devem ser indicados pelo corpo docente e disponibilizados em forma de arquivos on-line ou impressos;
  • Jogos (gamificação): recursos muito eficientes uma vez que inseridos no contexto do conteúdo e da sala de aula, como as webquests;
  • Quizzes: podem ser usados para a avaliação do aluno de maneira efetiva;
  • Videoaulas: é indicado utilizar vídeos que tenham de 5 a 7 minutos de duração;
  • Áudios em podcasts: são muito válidos para o professor deixar dicas de estudos para os alunos e complementar o conteúdo.

Como fazer o planejamento de aula invertida

Para o planejamento da sala de aula invertida, é importante pensar em materiais e atividades que permitiram os estudantes atingirem objetivos definidos para cada aula e desenvolvendo as habilidades contempladas nos currículos.

Saiba Mais >> Como planejar para o novo ensino médio em 2021

Preparamos um passo a passo para montar sua aula invertida:

  1. Habilidade da BNCC: Quais habilidades você pretende trabalhar com os alunos nessa aula ou itinerário formativo?
  2. Objetivo da aula: Quais objetivos específicos você quer desenvolver? Uso a taxonomia de bloom, considere usar verbos para aulas online.
  3. Avaliação: Liste quais critérios você usará para avaliar se os alunos atingiram seus objetivos

Etapa 1: Desafio

Elabore uma proposta que desperte a curiosidade dos alunos para início da aula. Faça uma breve introdução do assunto, explicado as atividades que serão realizadas e as informações que os alunos precisam saber até a próxima etapa.

Etapa 2: Pesquisa

Essa hora os alunos precisam buscar o conhecimento necessário para entender o básico sobre o assunto. Liste conteúdos onde os alunos possam fazer a pesquisa, mas deixe livre para pesquisarem da forma que acharem melhor.

Validação do conhecimento

Apresente as questões que precisam ser respondidas a partir do conhecimento adquirido na etapa de pesquisa. Use a criatividade, essa etapa pode ser feita em vídeos gravados e submetidos pelo Ambiente Virtual de Aprendizagem.

Etapa 3: Atividade Principal

Procure trabalhar em grupos para engajar os alunos. As atividades podem ser apresentações, debates, vídeos, criação de blogs, entre outros.

Descreva de que forma você espera que os alunos apresentem o trabalho final. Seja uma apresentação via zoom para a classe toda ou uma submissão de um documento via AVA.

Etapa 4: Sistematização

Planeje o momento que os alunos chegarão as conclusões sobre o conteúdo. Pode ser uma videochamada ou aula presencial. É importante a mediação do professor para garantir o aprendizado. O feedback dos alunos é essencial para entender se a atividade foi efetiva.

Etapa 5: Aprofundamento

Mostre como ou onde os alunos podem aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto. É importante uma visão sobre a complexidade não abordada nessa aula para despertar a curiosidade de quem se interessa pelo assunto. Sugira conteúdos para que possam se aprofundar.

Etapa 6: Avaliação

É hora de aprender com essa aula. Essa avaliação é para entender se essa aula que você planejou foi produtiva. Escreva o que deu certo durante a atividade e o que deu errado. Pense em formas de contornar o que não ficou muito bom para as próximas.

Conclusão

Lembre-se de que o uso de tecnologia educacional para colaboração entre os alunos, acesso à informação e resolução de problemas vai contribuir bastante para essa implementação.

Gostou do texto e quer continuar aprendendo com nossos conteúdos? Então, aproveite e conheça também 3 teorias para transformar o processo de aprendizagem da sua escola!

Fontes

STUDENTS HARNESS THE SKILL OF PREPAREDNESS THROUGH BLENDED LEARNING

The blended learning models that can help schools reopen

Compartilhar
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no twitter
Rodrigo Dutra

Rodrigo Dutra

Estrategista de marca e especialista de conteúdo, minha missão é encontrar formas de flexibilizar e personalizar o aprendizado para que alunos irem além de seus potenciais.

O que achou do artigo? Nos conte.

Inscreva-se para receber conteúdo e notícias sobre ensino híbrido e personalização da aprendizagem no seu e-mail toda a semana.

Quer inovar a jornada educacional?

Seja um líder educacional e inscreva-se em nossa newsletter.

Esse website usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação