fbpx
metodologias ativas de aprendizagem

Entenda o que são metodologias ativas de aprendizagem

Compartilhe

Sumário

Guia das Metodologias Ativas para escolas

As metodologias ativas de aprendizagem apresentam uma nova abordagem de ensino, em que o aluno torna-se o protagonista do próprio aprendizado, tomando para si a responsabilidade do seu próprio aprendizado.

O modelo propõe a mudança dos papéis, seguindo um caminho diferente do formato tradicional, no qual  a informação é somente transmitida para os alunos, famosa educação bancária, criticada por Paulo Freire

Essa abordagem procura engajar os alunos através de atividades de resolução de problemas, discussões em grupo e outras tarefas que promovam o pensamento crítico.

Com menos tempo de lição, os estudantes aprendem através de colaboração e exploração.

As novas formas de aprendizado estão gerando impactos positivos tanto para discentes quanto para docentes. 

Se você se interessou pelo assunto, entenda neste texto o que são as metodologias ativas de aprendizagem e como elas funcionam.  

O que são metodologias ativas de aprendizagem?

As metodologias ativas de aprendizagem utilizam uma abordagem centrada no aluno e o estimula a sair da estagnação durante a aula, além de  colocá-lo como protagonista no seu processo de aprendizagem. 

Nesses modelos, são enfatizadas as experiências de aprendizado, o que é chamado de “aprender na prática”.

As atividades estimulam o debate, estudos de casos e reflexões, que melhoram o relacionamento interpessoal dos alunos e a capacidade de expressão. 

Conheça também >> Como o TutorMundi ajudou o Colégio Fator na Pandemia

Como as metodologias ativas favorecem o aprendizado? 

De acordo com um estudo conduzido com abordagens de educação focadas em aprendizagem, estudantes aprendem mais quando participam do processo.

As metodologias ativas incentivam o cérebro a ativar redes cognitivas e sensoriais, processando e armazenando com mais eficiência o conhecimento.

Esses métodos trazem vantagens para o aluno e escolas. Confira os benefícios para os estudantes.

  • Maior retenção de conhecimento;
  • Estimulo ao pensamento crítico;
  • Maior motivação para aprender;
  • Melhora do engajamento em sala de aula;
  • Estímulo à autonomia;
  • Desenvolvimento da autoconfiança;
  • Resolução simplificada de problemas.

No caso da escola, a aprendizagem ativa é uma maneira de acompanhar o desenvolvimento individual dos alunos. Os professores podem mapear as necessidades individuais, preparando aulas e exercícios personalizadas.

Além disso, essas metodologias trazem mais interesse às aulas, e os educadores conseguem desenvolver melhor os ensinamentos e ter menos interrupções. 

Guia das Metodologias Ativas para escolas

Metodologias Ativas de Aprendizagem na prática

As ferramentas utilizadas em sala de aula refletem o comportamento dos estudantes, por isso, cada vez mais, o ambiente escolar deve ser adaptado às transformações tecnológicas educacionais.

metodologias ativas de aprendizagem na prática

Muitos tipos de atividades podem ser facilitar a aplicação de metodologias ativas.

Se os alunos estão participando do processo de aprendizagem ativa através de criação de experiência, você está aplicando metodologias ativas.

Alguns formatos que podem ser usados:

  • Demonstrar um processo
  • Analisar um argumento
  • Conduzir experimentos
  • Produzir exercícios escritos
  • Conduzir um debate
  • Criar vídeos
  • Trabalhar colaborativamente

Tipos de Metodologias Ativas para aplicar na sala de aula

Aprendizagem baseada em problemas

A aprendizagem baseada em problemas é uma técnica que usa problemas complexos do mundo real para incentivar a aprendizagem.

A construção de conhecimento é baseada em gerar debates e tem como objetivo o desenvolvimento de habilidades de pensamento crítico, resolução de problemas e comunicação.

Um dos grandes focos da aprendizagem baseada em problemas é a interdisciplinaridade, essencial para resolução de problemas complexos.

Essa prática procura quebrar as distâncias entre disciplinas para construir uma solução completa. A participação e colaboração dos alunos é peça chave.

Aprendizagem entre pares ou Peer Instruction

Esse método propõe que os alunos estudem em pares para que um ajude o outro. Dessa forma, os estudantes tornam-se responsáveis por algo além deles mesmos, abordando os assuntos que mais dominam. 

Essa troca de conhecimento entre os alunos, seja em duplas ou em grupos, muda o formato de aprendizado hierárquico, em que o professor ensina e o aluno só aprende.

Além disso, o modo informal como os alunos explicam um assunto e até as gírias utilizadas podem ajudar na absorção do conteúdo e reforçam o aprendizado, diferentemente do que o professor pode oferecer em um modelo tradicional. 

Aprendizagem baseada em projetos (PBL)

A aprendizagem baseada em projetos (PBL) ou a project-based learning tem o propósito de fazer com que os estudantes resolvam problemas com a colaboração de seus colegas.

O professor sugere uma ideia ou faz uma pergunta, mas não deve dar pistas de como resolvê-los. Cabe aos alunos criar métodos e estudar soluções para chegar no objetivo esperado.

Conforme o projeto for sendo desenvolvido, os professores devem dar comentários que guiem os alunos para o caminho certo.

Ao final, o objetivo é expor todas as ideias e os projetos criados e debater sobre eles, mostrando, assim, o que funciona em cada caso, além de trazer novas possibilidades ao que já era conhecido pelos estudantes. 

Sala de aula invertida

A sala de aula invertida ou flipped classroom é a metodologia que propõe que a tecnologia e o ambiente virtual sejam utilizados para incrementar e dinamizar as aulas.

Ela pode ocorrer online, em que o aluno tem acesso a lições e conteúdos de aprofundamento ou o professor pode trabalhar os assuntos presencialmente na sala de aula.

Essa técnica é muito usada no ensino híbrido, usando mais efetivamente os recursos tecnológicos para melhorar a aprendizagem.

O principal objetivo é que o aluno se torne responsável pelo seu conhecimento e faça estudos prévios sobre os temas abordados.

Os encontros presenciais têm o objetivo de discutir o tema, colocar os ensinamentos em prática e sanar possíveis dúvidas. 

Dessa forma, o professor não é detentor de todo o conhecimento, assumindo um papel de mentor.

Design Thinking 

O design thinking é um método utilizado em diferentes áreas, como na administração e gestão financeira, e ele pode ser utilizado para melhorar a educação.

A proposta é que os alunos reflitam, sejam criativos e investiguem para encontrar soluções. A metodologia é dividida em cinco etapas, descoberta, interpretação, ideação, experimentação e finalizando com a evolução.

  • design thinking na educação

Não há uma forma correta de solução. A prática oferece oportunidades de conhecimento por meio da cooperação, protagonismo, comunicação e criação de protótipos. 

Aprendizagem baseada em jogos ou Gamificação

Essa estratégia propõe que os recursos de jogos sejam aplicados para motivar e engajar os alunos no processo de aprendizagem.

Os recursos aplicados são inúmeros, podemos citar os mais comuns como: sistema de pontuação, rankings, avatares, insígnias e etc. Todos usados para dar uma visão de progresso para o aprendizado.

Diferentemente de uma aula tradicional, na gamificação, os alunos ganham autonomia e constroem o conhecimento de forma coletiva.

Esses desafios geram engajamento, motivam e promovem uma aprendizagem mais impactante nos alunos.

Os professores podem utilizar aplicativos ou criar jogos presenciais que estimulem a competição e deixem as aulas mais atrativas e inteligentes. 

Aprendizagem criativa

A aprendizagem criativa foi desenvolvida para despertar autonomia, interação e senso crítico nos alunos.

Ela defende que o aprendizado é um produto de um processo exploratório que deve ser conduzido pelo o aluno.

Para aplicar essa abordagem, seus autores propõe a espiral de aprendizagem criativa, que consiste em alguns momentos:

  1. Imagine
  2. Crie
  3. Brinque
  4. Compartilhe
  5. Reflita.

A espiral é um processo repetitivo em que cada etapa contribui para o desenvolvimento do aluno em diferentes etapas do aprendizado.

aprendizagem criativa

Veja também >> Como o TutorMundi ajudou o Colégio Fator na Pandemia

Adotando aprendizagem ativa na escola

Comece com pequenas modificações no seu desenho de aula, use ferramentas como o método SAMR para facilitar a implementação e avaliação do uso de tecnologia.

Ao incorporar essas práticas no dia a dia dos seus alunos é importante mantê-los informados do processo, além de explicar a importância disso para o desenvolvimento deles.

Como as metodologias ativas de aprendizagem tem uma proposta em que o aluno passa mais tempo aprendendo por si só, ou entre pares, o TutorMundi se torna uma ferramenta que amplia a sala de aula, e oferece um mentor à disposição em qualquer momento. 

Com isso, o estudante consegue desenvolver habilidades com maior eficiência e rapidez. Dúvidas geralmente representam barreiras cognitivas importantes e podem travar o aprendizado, por isso, é crucial que o aluno possua uma ferramenta que os ajudem.

Fontes

LEIA TAMBÉM:

Compartilhar esse artigo:

4 respostas

Gostou? Deixe sua opinião

Inscreva-se para receber conteúdos e notícias sobre ensino híbrido e personalização da aprendizagem no seu e-mail toda a semana.

Quer inovar a jornada educacional?

Seja um líder educacional e inscreva-se em nossa newsletter.

Esse website usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação