como fazer uma webquest

Webquest: Guia completo para 2020

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no twitter

A webquest é uma ferramenta poderosa que usa uma abordagem construtivista para dar propósito para o ato de aprender e engajar os alunos com relação ao conteúdo.

Essa ferramenta foi criada em 1995 por Bernie Dodge na Universidade de San Diego e é usada até hoje. Além disso, espalhou-se pelo mundo e foi adotada por diversos países. 

Neste artigo vamos explicar o que é uma webquest, ensinar como montar uma e dar um exemplo aplicado pelo Colégio Objetivo em 2020. 

O que é uma webquest e para que serve?

A webquest é um tipo de atividade baseada em perguntas em que a pesquisa acontece principalmente na internet. É uma ferramenta de aprendizagem ativa que desafia os alunos a serem protagonistas do aprendizado.

A aplicação dela é fácil, pois ela demanda tecnologias educacionais simples e pode ser aplicada usando desde o Google Docs até ferramentas mais complexas.

Assim, ela é uma ferramenta para construir uma aula colaborativa, usada para desenvolver pensamento crítico, empregando níveis altos da Taxonomia de Bloom

Porque usar uma webquest?

Tradicionalmente, estudantes se sentem absorvendo informações e as colocando em papel sem nenhum propósito além de ganhar uma nota boa.

A webquest oferece uma tarefa e permite o uso da imaginação e habilidades de resolução de problemas para completar a atividade. Como a resposta não é pré-definida, ela deve ser criada ou descoberta. 

Para resolver o problema apresentado não basta a memorização do conteúdo. A fim de completar a webquest, os alunos precisam processar a informação e aplicá-la em uma situação real.

Saiba mais >> Como trabalhar com aprendizagem baseada em problemas (PBL)?

Qual é a estrutura de uma webquest?

A estrutura de uma webquest tem 5 componentes essenciais: introdução, tarefa, processo, recursos, avaliação e conclusão. 

Uma webquest bem estruturada ajuda os alunos a trabalharem de forma independente. O papel do professor é o de mediador, em vez de detentor do conhecimento.

Ela deve ter um guia claro para os estudantes, um projeto criativo, links para recursos adicionais e deve ter muita flexibilidade.

  1. Introdução: Há um texto elaborado pelo professor para descrever o desafio, em que é explicado as atividades que serão realizadas e dá os papéis a serem desempenhados pelos alunos. Por isso, tente criar um texto que capture a atenção do aluno.
  2. Processo: Descrição dos passos que os alunos precisam realizar para finalizar a tarefa. É necessária uma descrição completa com exemplos e passos, a fim de facilitar a compreensão dos alunos.
  3. Recursos: Crie uma lista de recursos que os alunos podem usar, pois ter isso em mãos faz com que os alunos foquem mais em processar informações do que pesquisar. Além disso, esses links podem ser adicionados ao longo do processo. 
  4. Avaliação: De que forma os alunos serão avaliados depois de completarem a webquest? É importante ter clareza para não gerar frustração. Os critérios devem ser justos, consistentes e específicos para as tarefas. 
  5. Conclusão: Dedicar um tempo para reflexão e discussão sobre os resultados apresentados pelos alunos. 

Como fazer uma webquest passo a passo?

Para fazer uma webquest do zero basta o professor ter criatividade e se guiar por alguns passos básicos que listamos abaixo.

1 Escolhendo um tema

Primeiramente, procure tópicos que façam parte do currículo da sua escola, que sejam criativos,  interessante para os alunos e que complemente um conteúdo da sua aula que você não esteja satisfeito.

Para todo tema existe um modelo de webquest que pode desenvolver diversas habilidades e engajar os alunos. 

2 Selecione as fontes de informação e recursos

Em segundo plano, com o tema definido, você já tem uma ideia de que tipo de informações ajudariam o aluno a construir a sua webquest.

Assim, procure abranger o tópico de forma extensiva, principalmente se sua webquest não está avaliando habilidades de pesquisa.

Por isso, disponibilize a eles coisas como:

  • Livros relevantes
  • Links importantes
  • E-mails dos alunos
  • Softwares necessários (google docs, google classroom…)
  • Vídeos explicativos

Para compartilhar com os alunos você pode criar um documento compartilhado com links e fontes confiáveis de informação sobre o tema da Webquest.

Outra forma bem interessante é montar um fichário virtual, isso é possível através do site Live Binders, assim os seus vídeos, informações e conteúdos ficam todos em um só lugar.

3 Descreva a tarefa

Nesse momento, descreva da maneira mais clara possível qual será o entregável da atividade e de que forma os grupos ou alunos precisarão apresentar o resultado. 

As tarefas possíveis são infinitas, listamos abaixo alguns exemplos:

  • Resolver um problema multidisciplinar
  • Solucionar um mistério
  • Desenvolver um produto 
  • Responder questões em formato de gincana
  • Construir e defender uma opinião
  • Elaborar um resumo
  • Encontrar novas soluções

Exemplos de modelos para criação:

NomeTarefaPropósito Instrucional
Ensinando a aprenderCrie uma aula para alguém que é diferente de vocêPara entender melhor um tópico tendo que ensiná-lo a outra pessoa.
Cápsula do tempo Coloque dentro de uma cápsula do tempo 3 elementos que representem algum período da históriaGuiar o entendimento de algum período histórico e a importância das atividades e produtos da época
ComemorativoDecida uma forma adequada de comemorar um evento ou homenagear alguém.Estudar uma pessoa, instituição ou evento de uma forma que demonstre a sua importância. Ajuda a determinar quais aspectos do assunto são louváveis ​​ou importantes. 

Exemplos de modelos para decisão

NomeTarefaPropósito Instrucional
Julgamento comparativoClassifique um determinado conjunto de pessoas, lugares, ou eventos usando critérios que você desenvolve.Desenvolver uma compreensão de como um conjunto de coisas pode ser comparado. Além disso, esse padrão exige que os alunos pensem sobre juízo de valor.
RecomendaçãoFazer uma recomendação em grupo para resolver um problemaConstruir habilidades de pesquisa, compromisso e construção de consenso enquanto explora um problema multifacetado. 

Exemplos de modelos para criatividade

NomeTarefaPropósito Instrucional
Por trás de um livroUse a internet para saber mais sobre a época e o lugar em que um livro se passa.Aprofundar a compreensão de uma obra de literatura estudando seu contexto.
Relato de viagemCrie um relato de uma viagem como se você realmente a tivesse feito.Desenvolver o conhecimento de um determinado tempo e lugar; praticar a escrita narrativa.

4 Estruture o processo

Faça uma lista de quais passos o aluno deve cumprir para entregar a sua tarefa. Ao longo dessa lista, adicione os links de conteúdo que você separou, no momento em que o aluno precisará dele.

Descrever bem o processo ajudará outros professores a ver como sua aula flui e como eles podem adaptá-la para seu próprio uso.

  1. Primeiro, você será atribuído a uma equipe de 4 alunos 
  2. Então, você deve escolher uma função para desempenhar 
  3. … e assim por diante. 

Os alunos devem acessar os recursos on-line que você identificou à medida que avançam no processo. 

Você pode oferecer orientações sobre como organizar as informações coletadas: uso de imagens, tabelas de resumo, mapas conceituais ou outras estruturas de organização. 

5 Escreva uma introdução

O objetivo da introdução é preparar e motivar o aluno. Basta um pequeno parágrafo para apresentar a atividade.

Deixe claro o contexto (por exemplo, “Você é um viajante do tempo tentando identificar objetos importantes do passado”). 

Lembre-se, nela você deve comunicar a questão orientadora ou problema central da WebQuest.

6 Escreva uma conclusão

A conclusão deve resumir o que os alunos realizaram ou aprenderam ao completar a atividade.

Você também pode incluir algumas perguntas retóricas ou links adicionais para aprofundar seu pensamento para outro conteúdo além da webquest.

7 Planeje a avaliação

Descreva como a performance na atividade vai ser avaliada. Se preocupe em especificar se a nota será dada individualmente ou para o grupo.

Para ilustrar, montamos um exemplo de quadro de avaliação. Você pode estabelecer quantos critérios avaliativos você quiser, de acordo com o que entender que é relevante.

Quadro avaliativo Nível InicianteNível AprendizNível Completo Nível Exemplar Nota
ParticipaçãoPouca participação nas discussõesAlguma participação nas discussõesBoa participação nas discussõesExcelente participação nas discussões
2 Critério 

8 Formate a Webquest

Com as informações escritas você deve formatar em alguma ferramenta que fique acessível a todos os alunos e bem estruturada. 

Uma boa dica é Incluir imagens para ilustrar questões importantes, afinal os jovens são bem visuais, pois isso facilita o entendimento. Além disso, coloque créditos para todas as informações.

Chico: a Webquest do colégio objetivo

Apesar de termos estruturas para Webquests, na sua essência o objetivo é engajar os alunos através de uma atividade online e divertida.

Foi por isso que o Colégio Objetivo de Mogi Guaçu (SP) desenvolveu o Chico, o Challenge Interativo. É uma iniciativa para engajar os alunos e desenvolver habilidades de pensamento crítico e habilidades de pesquisa.

Ele surgiu inspirado no DNA – Desafio Nacional Acadêmicomaior olimpíada acadêmica online do país, que parou de ser realizado em 2018. 

A escola participava do DNA desde 2007 e percebeu que o engajamento dos seus alunos para esse tipo de evento era muito alta, então decidiu desenvolver seu próprio desafio. 

Foram 123 participantes divididos em 12 equipes do ensino médio e 14 do ensino fundamental. O desafio aconteceu em um domingo, em que as equipes tinham das 9 da manhã até às 9 da noite para responder às questões. 

A tarefa do Chico

O chico é uma webquest com perguntas e respostas, realizado inteiramente online. O desafio foi dividido em 11 categorias de conhecimentos gerais com 10 questões cada, totalizando 110 questões.

questão de história webquest objetivo
vitor ferreira

“Não acreditamos em matérias fechadas em suas caixinhas, o conteúdo deve ser multidisciplinar.” Vitor Ferreira – Vice Diretor do Objetivo Mogi Guaçu

Houve uma preocupação em incluir disciplinas nada tradicionais para esse tipo de competição como: esporte, música, direito, curiosidades, tecnologia, meio ambiente, raciocínio lógico, idiomas, cultura pop e atualidades.

O processo

As equipes poderiam ter de 2 a 5 participantes, todas precisavam ter um líder de equipe de mais de 18 anos para receber o prêmio.

Algumas equipes se organizaram nas casas dos alunos e outras se organizaram através de Google Meet, por videochamada. Toda a comunicação com a equipe organizadora aconteceu por whatsapp com os líderes de cada equipe.

participantes da webquest

Recursos

As equipes poderiam pesquisar onde quisessem e pedir ajuda para qualquer pessoal. No entanto, as questões eram enigmáticas e para respondê-las os participantes precisavam de habilidades de resolução de problemas.

O objetivo principal da escola foi desenvolver a habilidade de pesquisa dos alunos e transformar a informação em conhecimento. 

As questões foram inteiramente desenvolvidas pelos professores da escola, aumentando a proximidade entre o corpo docente e os estudantes. Além disso, houve uma preocupação em não ter perguntas facilmente encontradas no Google. 

vitor ferreira

“Foi muito interessante ver a interação com as famílias e colegas durante o challenge, as perguntas eram enigmáticas e desafiavam os participantes”
Vitor Ferreira – Vice Diretor do Objetivo Mogi Guaçu

webquest objetivo mogi

Para o quiz, a escola desenvolveu a interface com um time de programadores e agora serve para futuras webquests. A ferramenta foi desenvolvida utilizando-se das experiências passadas com as participações no DNA. 

Avaliação

O processo de avaliação mediu a quantidade de questões completas e com respostas corretas para cada equipe. Foram separadas as equipes do ensino fundamental e ensino médio do ranking. 

Resultados

Os alunos ficaram muito engajados com o aprendizado nesse formato. De acordo com uma pesquisa realizada, 90% dos participantes jogariam novamente e 85% classificaram a atividade como excelente. 

Com o sucesso da webquest, algumas escolas já demonstraram interesse em participar no próximo ano. A ferramenta pode ser reformulada para construir diversos outros desafios. 

Conclusão

Portanto, a Webquest é uma ferramenta poderosa para engajar seus alunos e transformar a aprendizagem em algo divertido, além de ser familiar para os nativos digitais. 

A estrutura tradicional de uma webquest serve para ajudar no desenvolvimento de novas propostas, porém é importante que os professores não se sintam limitados a ela. 

Como vimos no exemplo do Chico, podemos criar atividades bem mais simples e criativas, a fim de desenvolver as habilidades de pesquisa e aumentar o engajamento dos alunos. 

Já fez uma webquest? comente como você desenvolveu ela.

Fontes

https://www.educationworld.com/a_tech/tech/tech011.shtml

http://webquest.org/sdsu/taskonomy.html

Compartilhar
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no twitter
Rodrigo Dutra

Rodrigo Dutra

Estrategista de marca e especialista de conteúdo, minha missão é encontrar formas de flexibilizar e personalizar o aprendizado para que alunos vão além de seus potenciais.

O que achou do artigo? Nos conte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Newsletter

Inscreva-se para receber conteúdo sobre ensino híbrido e personalização da aprendizagem no seu e-mail.

Quer inovar a jornada educacional?

Seja um líder educacional e inscreva-se em nossa newsletter.