sala de aula invertida

12 pros e contras de uma sala de aula invertida

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no twitter

Neste artigo vamos abordar os pros e contras de uma sala de aula invertida. Você pode se lembrar de situações sentado ociosamente em uma sala em uma sala de aula, com os olhos vidrados, ouvindo o professor lecionar em frente à sala.

Essas cenas são familiares nas escolas de hoje, pois é o modelo tradicional de aprendizado, em que os instrutores concentram-se em transmitir informações, passam uma tarefa e deixam para os alunos o entendimento do material. 

Embora eficaz para alguns, esse tipo de instrução tem o pressuposto que todo mundo aprende de forma igual, além colocar os alunos no papel de receptores de informações, em vez de participantes de seu próprio processo de aprendizado. 

Como funciona a sala de aula invertida?

À medida que a tecnologia cresceu e se infiltrou cada vez mais em nossas salas de aula, também surgiram novos modelos de aprendizado mais colaborativos e centrados no aluno, os modelos de ensino híbrido foram os primeiros métodos criados.

O principal objetivo da sala de aula invertida é aprimorar o aprendizado dos alunos, revertendo o modelo tradicional, assim concentrando o tempo das aulas na compreensão dos estudantes através de práticas e interações, e não na aula em si. 

Leia >> O que é sala de aula invertida e como ela melhora o aprendizado?

Para fazer isso, os professores publicam conteúdos como vídeo aulas on-line para os alunos assistirem em casa, antes da próxima aula. Isso permite que o tempo em classe seja dedicado à expansão e ao domínio do material por meio de exercícios, projetos e discussões colaborativas.

Essencialmente, o dever de casa, que normalmente é feito fora de classe é realizado na sala de aula, enquanto as lições que geralmente são feitas na sala de aula são visualizadas em casa. 

Os pros da sala de aula invertida

1. Os alunos têm maior controle

Em uma sala de aula invertida, os alunos têm maior participação e controle sobre seu próprio aprendizado.

Ao fornecer lições em casa, cada indivíduo pode aprender no seu próprio ritmo. Os estudantes podem pausar ou retroceder os vídeos, anotar dúvidas que possam ter e discuti-las com seus professores e colegas de classe.

Isso também permite que os discentes que precisam de mais tempo possam entender certos conceitos e analisar o material sem ficar para trás.

Como resultado, isso não apenas melhora o desempenho e engajamento nos estudos, mas também o comportamento do aluno na sala de aula, já que conhece o assunto e, portanto, fica mais interessado.

pros e contras de uma sala de aula invertida

2. Maior interação e trabalho em grupo

Enquanto a transmissão de conteúdo acontece em casa, a sala de aula invertida otimiza o tempo que os estudantes e professores passam presencialmente em classe, com maior tempo para interações pessoais, debates, discussões.

Dessa forma, as trocas ficam mais ricas e os estudantes constróem experiência social.

3. Promove o aprendizado centrado no estudante e colaboração

Além disso, a sala de aula invertida permite que o tempo em classe seja usado para aperfeiçoar as habilidades e conhecimentos através de projetos colaborativos e discussões.

Isso encoraja os estudantes à trocar conhecimento entre si, com a orientação dos professores, o que permite que estudantes façam parte no seu próprio aprendizado, assim eles se sentem responsáveis pelo conhecimento adquirido.

É uma ferramenta para criar confiança própria por parte dos estudantes e dar a habilidade de identificar erros no entendimento por parte dos professores, os quais estão mais disponíveis para interação individual.

4. Acesso dá mais transparência aos pais

Diferentemente das aulas tradicionais, salas de aula invertida dão aos pais acesso 24/7 às lições dos seus filhos.

Isso permite com que os responsáveis tenham maior transparência da escola em relação à qualidade do ensino e pela disponibilidade do material, que estejam melhores preparados enquanto estão ajudando seus filhos.  

5. Conteúdos mais acessíveis (desde que haja tecnologia na sala de aula)

Fazendo lições em vídeo disponíveis o tempo todo online, os estudantes que são forçados a perder aulas devido à doenças, viagens ou emergências, podem se inteirar rapidamente.

Também oferece aos professores maior flexibilidade quando eles estão doentes e precisam faltar aulas.

Nesse caso, o conteúdo pode ser compartilhado sem a necessidade de um professor substituto, e o acompanhamento em sala de aula pode ser feito por um monitor ou tutor. 

6. Maior eficiência para o processo de ensino-aprendizagem

Quando feito da maneira correta, a sala de aula invertida permite que os estudantes tenham mais tempo livre para desempenhar outras atividades.

Além disso, o modelo oferece um maior desenvolvimento cognitivo através das interações entre alunos. Por outro lado, no modelo tradicional, o tempo que o estudante passa, cada semana, fazendo tarefas de casa é substancial. 

7. Faltas não são tão problemáticas

Outro benefício é que as faltas tanto de docentes quanto de alunos não afetam muito o processo de ensino-aprendizagem, uma vez que o estudante pode assistir às aulas que perdeu, uma vez que elas estão disponíveis no ambiente virtual.

Da mesma maneira, se um professor precisa se ausentar em determinada aula presencial, ele tem o poder de manter as lições gravadas e alocar um monitor para acompanhar as atividades presenciais que planejou para a aula.

Os contras da sala de aula invertida

1. Pode-se criar ou exacerbar diferenças de acesso à tecnologia

Uma das principais questões da sala de aula invertida é a necessidade de acesso à tecnologia, pois para ser efetiva o estudante precisa ter ao menos um computador conectado à internet.

Mas, o Brasil tem 4,8 milhões de crianças e adolescentes sem acesso à rede em casa, o que torna a sala de aula invertida particularmente difícil de implementar em escolas que tenham alunos nesse cenário.

2. Depende de preparação e confiança

Ademais, existe a preocupação na adoção desse modelo com relação à confiança, já que depende muito da participação dos estudantes, o educador precisa confiar que eles assistam às lições em casa para ter uma aula presencial produtiva.

Infelizmente, não há garantias que isso aconteça, porém, da mesma forma, no modelo tradicional, apesar do aluno estar sendo ensinado pelo professor em sala, nada garante que o estudante esteja de fato absorvendo o conteúdo.

3. Existe uma carga de trabalho adicional 

A implementação da sala de aula invertida pode acarretar em uma carga de trabalho a mais para os professores, pois existem elementos que devem ser integrados com cuidado para permitir que a turma se desenvolva.

Uma dessas responsabilidades é esta: gravar e postar suas aulas em um sistema de ensino, e só essa tarefa já demanda tempo e habilidade que professores do ensino tradicional podem não ter.

Embora seja possível que os professores implementem o modelo da sala de aula invertida gradualmente, ainda assim é requerido tempo adicional, principalmente no início.

4. Não é uma forma de aprendizado natural para preparação de provas

Se isso é uma coisa boa ou ruim, fica para outra discussão. Mas geralmente, o modelo da sala de aula invertida não “ensina para a prova”. Pois, esse método não segue o modelo de ensino tradicional que treina para a realização de provas.

Porém a forma de avaliação exigida pelo sistema de ensino ainda é nesse formato, logo, os alunos ainda terão que passar um bom tempo se preparando para tirar uma boa nota nas avaliações.

5. Tempo em frente à telas é maior

Existem aqueles que acreditam que se todo professor começar com práticas de sala de aula invertida, os estudantes passarão horas na frente de um computador assistindo lições.

E há aqueles que coloquem isso como prejudicial, além de poder causar problemas sérios para o processo de aprendizado do aluno, uma vez que não são todos os estudantes que vão se adaptar a aprender através de um computador.

Conclusão

Apesar de todos esses pontos, a sala de aula invertida ainda pode ser uma abordagem para melhorar o desempenho dos estudantes e os envolver em sua própria educação. 

Valendo a pena, portanto, a tentativa de aplicação dessa metodologia nas escolas, de forma gradual. Pequenas mudanças no sentido de métodos como a sala de aula invertida, podem fazer toda a diferença na qualidade das aulas dos professores. 

Compartilhar
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no twitter
Rodrigo Dutra

Rodrigo Dutra

Estrategista de marca e especialista de conteúdo, minha missão é encontrar formas de flexibilizar e personalizar o aprendizado para que alunos vão além de seus potenciais.

O que achou do artigo? Nos conte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Newsletter

Inscreva-se para receber conteúdo sobre ensino híbrido e personalização da aprendizagem no seu e-mail.

Quer inovar a jornada educacional?

Seja um líder educacional e inscreva-se em nossa newsletter.