Como corrigir gêneros narrativos

Textos narrativos #

Os textos narrativos contam histórias, por isso, eles precisam ter a estrutura PENTE:

Personagens – Apresentação dos personagens (introdução), características deles.

Enredo – O desenvolvimento da história, o roteiro.

Narrador – Quem está narrando? (Narrador observador, personagem…)

Tempo – O passar do tempo precisa estar bem demarcado.

Espaço – Onde estão ocorrendo os eventos?

Assim como qualquer outro texto, eles precisam ter Introdução, Desenvolvimento e Conclusão.

Contos #

Os contos são narrativas curtas, normalmente os professores vão pedir que os alunos criem contos de uma página ou duas, no máximo.

Existem os contos fantásticos, em que um elemento sobrenatural obrigatoriamente precisa estar inserido.

Nesses contos, os personagens são humanos (ao menos os protagonistas).

Minicontos #

São contos de 5 linhas ou até mesmo uma única frase. Veja um exemplo:

Nesse tipo de conto, por motivos óbvios, não é necessário seguir a estrutura PENTE.

É comum que os professores peçam aos alunos que peguem minicontos e transformem em contos normais.

Crônica #

Esse tipo de texto é um dos que mais confunde os estudantes, isso porque eles fazem ou só a parte narrativa ou apenas a argumentativa/ reflexiva.

A crônica parte de um evento do cotidiano, portanto, tem uma pequena narrativa. Mesmo as crônicas argumentativas devem ter esse ponto de início, normalmente pode ser algo que o autor encontrou ou presenciou.

A partir desse evento do dia a dia, o aluno faz uma reflexão mais ampla sobre algo mais profundo. Seria como uma aplicação.

Fábula #

A fábula necessariamente precisa conter um animal como protagonista, normalmente um que seja falante, mas ele precisa ter atitudes humanas (personificação).

Não existe fábula com seres humanos como protagonista (se esse for o caso, seria um conto).

As fábulas normalmente apresentam uma moral ao fim da história, como essa famosa fábula de Esopo:

Chegando uma Raposa a uma parreira, viu-a carregada de uvas maduras e formosas e cobiçou-as. Começou a fazer tentativas para subir; porém, como as uvas estavam altas e a subida era íngreme, por muito que tentasse não as conseguiu alcançar. Então disse:

– Estas uvas estão muito azedas e podem manchar-me os dentes; não quero colhê-las verdes, pois não gosto delas assim.

Este artigo te ajudou?

Esse website usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação