ensino híbrido

Ensino Híbrido: tudo o que você precisa saber sobre essa estratégia em 2020

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no twitter

Imagine o seguinte cenário: os estudantes chegam à aula e o professor dá uma mini palestra, expandindo o conteúdo do vídeo que os alunos deveriam ter visto ontem à noite. Tira as dúvidas que os alunos têm sobre o conteúdo e depois a turma começa a trabalhar na tarefa que estava postada em um ambiente virtual. 

O professor nota que dois alunos já tinham começado o trabalho ontem à noite e estão tentando resolver o problema em parceria. Outro aluno levanta a mão para tirar uma dúvida sobre o conceito. Um estudante no fundo da sala gostaria que o docente verificasse o seu trabalho pois não tem certeza se conseguiu resolver a tarefa da melhor forma. 

O professor desloca-se pela sala, respondendo a questionamentos para garantir que todos os alunos compreendam o conceito. 

Tudo isso faz parte de um ensino híbrido ou de uma sala de aula invertida.

O que é ensino híbrido?

Ensino híbrido é uma estratégia pedagógica na qual os estudantes aprendem via interações presenciais (off-line) combinadas com instruções digitais (on-line). Essa metodologia oferece maior controle sobre o processo de aprendizagem e uma maior autonomia para o aluno através de tecnologia. 

O ensino híbrido transforma o papel do professor, de forma que ele possa atuar como um mediador de possibilidades e passar mais tempo atendendo às dificuldades de aprendizagem dos seus alunos. 

Os momentos presenciais são feitos com acesso direto ao professor na sala de aula enquanto que o momento on-line pode ser realizado durante o período de aula ou em casa. Essa estratégia depende do desenvolvimento de uma mentalidade de experimentação, avaliação e melhoria contínua por parte da gestão escolar, contemplando as necessidades do aluno.

Assim, pode-se dizer que o ensino híbrido é um modelo de cooperação entre educadores e seus estudantes, com o objetivo de melhorar a experiência de aprendizagem. Quando bem implementado, transforma os processos do conhecimento acerca de um novo tema didático, uma vez que parte do pressuposto de que não existe apenas uma forma de aprender. 

A tecnologia na estratégia do ensino híbrido serve como uma maneira de atingir uma aprendizagem personalizada, de forma que fique mais evidente a trajetória do estudante e suas dificuldades individuais. Desse modo, infere-se que o ensino híbrido é um modelo de cooperação entre educadores e seus estudantes, com a finalidade de melhorar a experiência de aprendizagem aliada ao auxílio da tecnologia. 

Os três pilares do ensino híbrido

Cada docente tem suas fortalezas, metodologias e experiências pessoais que podem tomar formas diferentes quando aplicadas para o ensino híbrido, que não deve ser levado como uma receita de bolo por parte das escolas. Visto que o ensino híbrido suporta diversas formas e considera múltiplas estratégias, cada instituição de ensino pode aplicar a metodologia de forma a adequar e otimizar a aprendizagem dos seus discentes.

Então, como montar um programa de ensino híbrido consistente e flexível? A chave é se basear em conceitos à base de evidências e aplicar as possíveis estratégias alinhadas aos três pilares do ensino híbrido: engajar estudantes, aprimorar lições e melhoria contínua. Tais pilares servem como base para gerar consistência nas estratégias, além de proporcionar flexibilidade para adaptar táticas de acordo com as necessidades das escolas e dos seus alunos.

1. Engajar estudantes 

O engajamento dos estudantes é um dos fatores mais importantes para a estratégia do ensino híbrido. Ele representa o nível de interações que os estudantes têm com o docente, com o currículo e entre si. Deve-se focar em estratégias que incentivem a aprendizagem ativa por parte do alunado, além de comunicação e colaboração.

Deixe os estudantes terem autonomia no seu processo de aprendizado. Uma maneira de fazer isso é através da proposta de atividades abertas que possibilitem o discente a explorar os temas didáticos com recursos de expressão alternativos, encorajando-o a escolher como eles querem mostrar o seu entendimento de algum tópico.

2. Aprimorar lições

Aprimorar lições significa aumentar as oportunidades de interação e aprendizagem através do uso criativo da tecnologia. Assim, introduz-se metodologias que podem expandir o momento de aprendizagem para fora da sala de aula física, então aumentando a eficiência do ensino.

Considere implementar ferramentas digitais que otimizem a aprendizagem em casa como tutoria digital ou curadoria de conteúdo complementar.

3. Melhoria contínua

Ensino híbrido não é apenas sobre um destino, mas sim sobre as técnicas e processos que o aluno vai utilizar com objetivo de tornar mais efetivo o seu processo de aprendizagem. O propósito é maximizar as oportunidades de assimilação de conteúdo, minimizando o tempo e esforço gastos nesse processo.

Troque ideias e novos aprendizados com a comunidade envolvida na gestão escolar, que muitas vezes se estende para além do ambiente institucional, como exemplo de pais e responsáveis que participam de decisões pedagógicas. A melhoria contínua é efetivada através de tentativa e erro até chegar-se em um consenso de sucesso, com apoio de uma rede colaborativa de profissionais e adjuntos.

Modelos de ensino híbrido

Existem alguns modelos que estão sendo usados de ensino híbrido, listamos aqui para servir de inspiração para implementar algum formato que se encaixe melhor com a sua escola.

modelos de ensino híbrido

1. Modelo de rotação

Neste formato, grupos de estudantes rotacionam entre um cronograma fixo da disciplina ou um construído pelo professor, alternando as diversas modalidades de aprendizagem, sendo uma delas on-line. 

Outras modalidades que podem ser usadas são: instruções divididas em grupos menores; projetos em grupo; exercícios; ou tutoria personalizada. Nessa modalidade os alunos aprendem principalmente na sala de aula, com a exceção de temas enviados para casa.

1.1) Rotação de estação

Nessa modalidade, os estudantes experimentam o modelo de rotação dentro dos limites de uma sala de aula ou em um grupo de salas. As aulas acontecem em estações de trabalho diferentes e podem usar métodos distintos de aprendizagem entre elas.

1.2) Rotação de laboratório

Trata-se de uma rotação na qual os alunos podem estar em estações de aprendizagem dentro da sala de aula ou em um laboratório de informática, possibilitando a retenção de conteúdos com utilização de plataforma on-line.

1.3) Sala de aula invertida

Na sala de aula invertida, o estudante tem a oportunidade de aprender previamente um conteúdo em um ambiente on-line, fora da sala de aula. Na sala de aula, então, ele terá mais tempo para exercitar o conteúdo previamente estudado e o professor servirá como um guia para ajudar no entendimento e esclarecimento de dúvidas.

1.4) Rotação Individual

Nesse modelo de rotação, os estudantes têm cronogramas de aprendizagem individuais. Funciona como uma lista de propostas para preencher os temas a serem estudados, sendo o cronograma principal estabelecido pelo professor.

2. Modelo Flex

No modelo flex, a aprendizagem on-line é a principal forma de estudo, com eventuais tarefas off-line. O cronograma de aulas é altamente personalizado e fluido. Os alunos aprendem principalmente no campus físico, exceto pelas tarefas de casa. Além disso, o professor fornece apoio presencial de forma flexível e adaptável, conforme necessário, por meio de atividades como instrução em pequenos grupos, projetos em grupo e aulas individuais.

O modelo flex é bastante flexível e algumas implementações envolvem mais suporte presencial diário enquanto outros modelos tendem a ser mais digitais, oferecendo apoio para enriquecimento do aprendizado.

3. Modelo à La Carte

O modelo à la carte oferece uma disciplina inteiramente on-line para apoiar outras experiências de aprendizagem que está tendo na escola. Esse modelo conta com um professor disponível via on-line e a disciplina em questão pode ser cursada no campus da escola ou na casa do aluno.

É importante estabelecer a diferença do modelo à la carte para o ensino à distância. No modelo à la carte, apenas as disciplinas eletivas ou complementares são oferecidas no formato on-line, mantendo as disciplinas básicas no modo presencial. 

4. Modelo virtual enriquecido

Modelo onde os alunos têm sessões presenciais obrigatórias de aprendizado com o professor, posteriormente sendo livres para concluir o aprendizado remotamente. A aprendizagem ocorre principalmente com conteúdo on-line, porém há um suporte à vista do professor.

Benefícios do ensino híbrido 

O ensino híbrido pode ser uma estratégia transformadora e enriquecedora para a sua instituição devido à flexibilidade das estratégias que podem ser adotadas, tendo apenas uma limitação para suas aplicações e melhorias: sua imaginação e criatividade.

A maior vantagem do ensino híbrido é o engajamento e liberdade dos estudantes, proporcionando autonomia para seu próprio processo de aprendizagem. Quando incorporamos técnicas de aprendizagem que envolvem celulares e computadores, a experiência fica mais familiar. 

Além disso, a aplicação do ensino híbrido remove as limitações de tempo e espaço onde o processo de aprendizagem ocorre, de modo a aproveitar qualquer momento que o aluno esteja engajado em aprender. O poder de escolha que esse modelo oferece para os estudantes é muito poderoso para o indivíduo se sentir como protagonista e construtor da sua própria educação.

As relações entre aluno e professor também são mais orgânicas e melhor aproveitadas, uma vez que o professor está em um papel de mentor e tutor do estudante, propiciando um importante apoio estrutural.

Conclusão

As mudanças não acontecem do dia para a noite, elas são um processo. Adotar e adaptar novas formas estratégicas de ensino e aprendizagem leva tempo e precisa de muito foco e evolução constante.

Esse guia básico do ensino híbrido tem como objetivo gerar novas ideias e possibilidades para provocar sua mentalidade construtiva e te lembrar que você não está sozinho nessa jornada.

tutoria digital no ensino híbrido

Fontes

Metodologias ativas e modelos híbridos na educação

The Impact of Blended Learning on Student Engagement

Tecnologia, inovação e ensino de
história: o ensino híbrido e suas
possibilidades
Compartilhar
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no twitter
Rodrigo Dutra

Rodrigo Dutra

Estrategista de marca e especialista de conteúdo, minha missão é encontrar formas de flexibilizar e personalizar o aprendizado para que alunos vão além de seus potenciais.

O que achou do artigo? Nos conte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Newsletter

Transforme a aprendizagem com a gente. Receba conteúdo no seu e-mail semanalmente.

Aprendizagem Personalizada

Inscreva-se na nossa Newsletter semanal

Fique por dentro de como a tecnologia tem tranformado a aprendizagem.